Endometriose: A doença silenciosa

Precisamos ficar atentos a uma doença que afeta milhares de mulheres no mundo todo: a endometriose. Essa patologia crônica ocorre quando o endométrio (tecido que reveste o útero), cresce em localização extrauterina, principalmente nos órgãos vizinhos como intestino, bexiga e estruturas da pelve feminina. Apesar de ser uma doença benigna, a endometriose causa um processo inflamatório doloroso na pelve, o que pode levar à fibrose e formação de aderências.

A endometriose é um problema comum (comum não significa que seja o normal, ok?), que atinge uma a cada seis mulheres em período reprodutivo. A doença tem maior chance de ocorrer se houver outros casos na família, o que sugere uma tendência genética.

Com a doença surgem as cólicas intensas, desconfortos e, em alguns casos, dificuldades para engravidar podendo chegar até a infertilidade. Não existe uma causa estabelecida da endometriose, mas, a teoria mais bem aceita é a da menstruação retrógrada, que é quando pequenas porções de sangue voltam pelo canal vaginal e se alojam aonde não deveriam. Isso ocorre pelo estímulo constante do estrogênio, hormônio que faz o endométrio engrossar e menstruar todos os meses.

A endometriose pode começar na adolescência ou em jovens adultas. Mulheres com endometriose inicial ou profunda manifestam o quadro de dor de forma muito individual. Também podem ocorrer disfunções intestinais durante a menstruação como, por exemplo, diarreia ou dor ao evacuar.

💊 Na maioria dos casos o tratamento recomendado é através de medicamentos que suspendam a menstruação, para promover a melhora dos sintomas e impedir o avanço da doença. Já em alguns casos, a cirurgia para retirada dos focos pode ser recomendada.

Para se prevenir é muito importante conhecer o seu corpo e ouvi-lo com atenção. Tenha hábitos de vida saudáveis com alimentação equilibrada e atividade física, além de manter consultas regulares ao seu ginecologista.

Clínica Linda

@clinica.linda
@drmarcosginecologista
(61) 3368-3779 | (61) 99239-7270